Você sabia? A pensão alimentícia entre ex-cônjuges não é mais regra no nosso ordenamento jurídico.

A pensão alimentícia entre ex-cônjuges, atualmente, é considerada excepcional e transitória. Excepcional, pois, para a pleitear, o alimentando deve comprovar ser portador de uma enfermidade incapacitante ou atestar sua impossibilidade total de reinserção no mercado de trabalho. Além disso, configura-se como transitória pois, ainda quando fixada, deverá ser imposto termo ou condição certa para seu fim, na maioria dos casos.